Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
 
 
adicionar aos favoritos | área reservada
  Este é o blog da FialhoFerro, Lda. Saber mais Quem somos Serviços Contactos
 
 

Arquivo da Categoria ‘Editorial’

Agosto 2011 Segunda-feira, 29 de Agosto, 2011

jose-fialho-ferro_lt0101Olá.
   Regressámos de férias(?) , cheios de energia e “genica”a contribuir para um valente “coice” na crise e em quem nos meteu nela.
   Os tais de Ali-Bá-bás e os seus infindáveis companheiros de route.
   O soba lá do Atlântico que despudoradamente nos continua a ofender , dizendo-se patriota mas que deliberadamente não cumpre as leis da Republica.
   Quando é que alguém tem a coragem de mandar calar aquele animal humano ou o pôr fora do baralho, ou então, porque não dar-lhes a independência ?.
    Aquele que contribuí para o despesismo deste pobre País em que alguns trabalham e cumprem as suas obrigações fiscais e outros pedem sacrifícios ao POVO, humilde, calado e submisso, como se não tivesse havido Abril e que continua A PAGAR o despesismo como português de segunda, comparativamente aos da Madeira.
   Pasme-se
   A Assembleia Regional da Madeira mandou para aprovação da Assembleia da Republica Portuguesa uma deliberação para aumento das pensões e reformas, como taxa de salubridade a ser paga aos seus residentes.
   È de loucos!
   Hoje, ter trabalho é uma sorte.
   Merece-lo e garanti-lo é necessário vontade e inteligência. Ainda maior quando os crânios macroeconómicos que nos têm desgraçado no decurso dos últimos 30 anos são os porta estandartes do apelo ao sacrifício, dizendo, e bem, que não podemos continuar a viver acima das nossas possibilidades.
   De acordo e para isso cá estamos.
   Porem, não podemos deixar de os responsabilizar, pois a esses, aos tais inteligentes (não os directores das corridas de toiros) apetece- nos chamar-lhes aldrabões e sem moral, para não dizer canalhas.
   Se não vejamos
   Os gestores portugueses recebem em média:
   –Mais 22,5% que os gestores franceses
   –Mais 32% que os gestores americanos
   –Mais 55% que os gestores finlandeses
   –Mais 56,5% que os gestores suecos
   Onde está a moral?
   QUEM É QUE PAGA ISTO?
   O Zé pois claro, que cala e consente e ainda corre a traz dos foguetes e bate as palmas de contente, quando não ostenta ao vento as bandeirinhas coloridas, os sacos plásticos e esferográficas com as setas, as rosas, foices e martelos, estrelas etc.
   O Agosto traz-nos cada coisa!

by José_Ferro

JULHO 2011 Domingo, 10 de Julho, 2011

jose-fialho-ferro_lt0101Neste mês de Julho, começamos a nossa crónica com muito atraso, o que origina a impressão do nosso Boletim já com o mês quase passado. Todavia, como diz o Povo na sua sapiência, vale mais tarde que nunca.
   Assim cá estamos nós.
   Em Julho houve algumas efemérides que deviam ser registadas
   No dia 1 de 1867 foi abolida em Portugal a pena de morte e no ano de 1906 foi fundado o meu estimado Sporting Clube de Portugal.
   Dia 7 de 1923 morreu Guerra Junqueiro
   Dia 9 de 2000 Portugal tornou-se campeão europeu de florete.
   Dia 11 de 1822 foi votada a primeira lei eleitoral do voto secreto e directo.
   Dia 13 de 1958 D. António Ferreira Gomes, então Bispo do Porto escreveu uma carta aberta a Salazar, o que o levou ao exílio.
   Dia 15 de 1912 morre de insulação na maratona dos jogos olímpicos de Estocolmo o atleta português Francisco Lázaro.
   Dia 19 de 1934 nasceu Francisco Sá Carneiro.
   Dia 26 é o dia Nacional dos Avós
   Dia 27 de 1970 morreu António de Oliveira Salazar
   Dia 31 de 1498 Cristóvão Colombo descobriu a ilha da Trindade, nas Americas.
   Estas foram algumas das muitas  efemérides do mês de Julho de diversos anos, mas muitas outras dignas de registo também aconteceram,
   Por exemplo, o bombardeio diário da, Troika para aqui troika para ali, que é uma belíssima forma, quais ministros da intoxicação mental que Hitler mandava praticar, para servir de pretexto para continuar o massacre da guerra mundial. Agora, os mesmos, mas num outro tempo e contexto
trazem-os a mesma destruição, não pelo poder das armas, mas pelo poder económico e financeiros.  Outras inteligências, as mesmas maldades. A destruição da natureza humana com o aumento da fome, que já existe em Portugal, da instabilidade social, desemprego, desespero, que racionalmente leva á perda de dignidade e respeito pelo próximo e ainda pior, por nós próprios. Estes crânios iluminados em proveito próprio, que usam e abusam falando em nome de um povo, dizendo-se autorizados pelo direito ou legitimidade do voto, esquecendo-se que ninguém consegue enganar todos durante todo o tempo. È altura de dizer basta e pressionar, de forma pacifica, mas com a força que a razão nos dá, a alteração do actual sistema,por gasto, desactualizado e economicamente prejudicial.
   Só se poderá sentir autorizado a falar em nome de alguém, quando pelo mesmo for autorizado, isto é, quando os candidatos a cargos dirigentes e publico/políticos, se apresentarem em nome uni pessoal, ou  integrantes ou representantes de partidos ou movimentos políticos, mas em votações directas. Assim sim, o fulano ou beltrano em que eu votei, pode-me representar e falar em meu nome. Depois, reduzir a metade o numero de deputados e comissões que se auto nomeia em função dos seus interesses, levava a uma poupança de cerca de 100 milhões de euros anuais. Veja-se o orçamento e ajustes suplementares do orçamento da Assembleia da Republica de Portugal. Daqui viria o exemplo de sacrifícios que são exigidos e não praticados por quem devia mas não quer,por falta de coragem e vontade de fazer o melhor por um POVO e um País.
   Não é necessário ser catedrático para saber como se poupa sem trazer desgraças. Só é preciso querer e ter vontade e firmeza. Enfrentar os interesses instalados sem ter medo de desapear os “cavaleiros”.
   Lanço uma pergunta e um desafio aos tais Senhores.
   Quais de entre vós, iniciou e desenvolveu uma empresa sem capitais próprios, mas com a riqueza do seu querer e saber(grande capital) ?.
   Quais de entre vós foram convidados para administradores de empresas e ou instituições por reconhecimento de competências demonstradas no trabalho desenvolvido?.
   E não por “cunhas” ou conveniências de interesses politico/partidários/empresariais?
   Quais os que não ocuparam os cargos que não tivessem  antes ou depois, de prestar vassalagem a quem lhes arranjou a reformasita ou subsidio de integração pelos” altos trabalhos prestados à Nação” ?.
   Mas atenção, o que escrevo não é traição nem tão pouco anti-regime. È sim o reconhecer
que o sistema se tem aproveitado de maneira canalha, do regime que se quer continue democratico.
   Adeus Julho, que o Agosto está a bater à porta.

by José _Ferro

Junho 2011 Sexta-feira, 17 de Junho, 2011

Mês de Junho e alguns registos, deste mês em que o dia 1, para além de ser o Dia Mundial da Criança, também é o dia Mundial do Cigano.

Dia 1 de 1953 foi inaugurada a TAP.

Dia 2 saiu o nº1 do Jornal de Noticias no ano de 1888 e no ano de 2003 foi criada em Ansião a Associação Portuguesa dos Amigos da Sesta, como eu gostaria de exercer essa pratica.

No dia 4 de 1989 são mortos pelas tropas chinesas na Praça de Tiananmen em Pequim cerca de 3000 manifestantes.

Dia 6 do ano de l944 foi o dia D, desembarque das forças aliadas na Normandia.

Dia 7 de 1494 Portugal e Castela assinam o Tratado de Tordesilhas.

Dia 8 de 632 morreu Maomé, fundador do islamismo e cá o “Zé” casou no ano de 1969.

Dia 10, dia de Portugal, Camões e da Raça, no ano de 1580 (?) morre Luís Vaz de Camões e no ano de 1956 é inaugurado em Lisboa o Estádio José de Alvalade, do meu estimado Sporting Clube de Portugal.

Dia 11 de 1890 foi inaugurada a estação ferroviária do Rossio em Lisboa.

Dia 13 de 1231 morreu em Pádua, Itália Santo António de Lisboa e em 1993 morreu a fadista Hermínia Silva.

Dia 16 de 1996 morreu em Lisboa o escritor e ensaísta David Mourão-Ferreira.

Dia 18 de 1977 a equipa de hóquei em patins do Sporting Clube de Portugal vence a Taça dos Campeões Europeus.

Dia 19 de 1911 é aberto o primeiro Parlamento Português da I República e aprovado o Hino Nacional e as cores da Bandeira.

Dia 21 é o dia do Relógio de Sol e em 1905 nasceu Jean Paul Sartre que em 1964 recusou receber o Prémio Nobel da Literatura.

Dia 24 de 1128 D. Afonso Henriques vence o exército de sua Mãe, D. Teresa na Batalha de S. Mamede.

No dia 25 de 1933, nasceu o Arquitecto Sisa Vieira, em 1948 morreu o professor Bento de Jesus Caraça e em 1975 é reconhecida a independência de Moçambique.

Dia 26 de 1982 Carlos Lopes bateu o recorde mundial de 10.000 metros.

Dia 30 de 1487 é impresso em Portugal o primeiro livro Pentateuco (Tora em hebraico), em 1793 é inaugurado em Lisboa o Teatro Nacional de São Carlos.

Estes são alguns registos que nos parecem de interesse.

Mas, outros houve e haverão neste mês de Junho que são mais importantes para o nosso dia-a-dia. Senão vejamos.

A 5 de Junho tivemos eleições legislativas que deram o resultado por praticamente todos nós mesmo, mesmo os não concordantes, era esperado, e que num trabalho de grande empenho os media desejavam. Não houve nenhuma alternativa. Haverá sim alternância que será mais do mesmo.

O Ali-Baba, do maravilhoso livro de histórias, já lá está. Os 40 estão a caminho. São os mesmos de sempre. São os mesmos que estimularam com incentivos e subsídios à não produção e abandono das pescas e da agricultura, que agora, quais descarados de memória curta, apelam ao aumento da produtividade. Os mesmos que estimularam o consumismo, que agora apelam á poupança, sabendo bem que não se consegue poupar. Os mesmos que se auto promoveram e aos seus amigos em lugares de chorudos vencimentos e mordomias, os chamados “Tachos públicos” e que agora, com o olhar soberano do sistema vão voltar para continuarem o que deixaram por acabar.

E depois, continuamos a ter de gramar com o douto saber que vem das águas do Oceano, na máxima que “não assinou não tem de respeitar as decisões”. È revoltante e indigno da parte de quem detém o poder e capacidade de se impor não o conseguir fazer e fazer de todos nós cidadãos de segunda, que se tem de sujeitar ás parvoeiras de um qualquer licenciado baboso e provocante que nos pesa no bolso, qual cão que morde a mão a quem lhe dá de comer.

Exijo o direito à minha indignação e ao vil propósito de dizer não por andar a ser explorado.

Venha o Julho, que de Junho estou farto.

by José_Ferro

Maio 2011 Terça-feira, 17 de Maio, 2011

Neste mês de Maio com inicio no dia do Trabalhador, tivemos também actos e factos que são dignos de relevo:

No dia 1 de 1965 foi inaugurada a estação de S. Apolónia, em Lisboa

Dia 3 de 1911 foi formada em Portugal a Guarda Nacional Republicana.

Dia 6 de 1974 foi fundado o Partido Popular Democrático, hoje PPD/PSD

Dia 7 de 1800, foi criado em Portugal o portador, hoje designado carteiro.

Dia 8 de 1782 morreu em Pombal Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal, em 1908 sobe ao Trono de Portugal D. Manuel II e em 1945 foi declarado o fim da II Guerra Mundial.

Dia 9 de 1918 foram realizadas as primeiras eleições por sufrágio directo em Portugal, nas quais foi eleito Presidente da República Sidónio Pais.

Dia 10 de 1986 um incêndio destrói o Teatro Maria Vitória em Lisboa.

Dia 13 de 1917 foi anunciada a primeira aparição da Virgem Maria na Cova de Iria em Fátima.

Dia 16 de 2003 o atleta português Nuno Delgado conquista na Alemanha a medalha de prata em Judo.

Dia 18 de 1999 o alpinista português João Garcia, neto de um médico residente em Montemor-o-Novo, Dr. Romeu Coelho, já falecido, subiu ao cume do Evereste sem garrafas de oxigénio.

Dia 19 de 1911 foi fundado o jornal República, em 1936 foi criada a Mocidade Portuguesa e em 1954 foi assassinada Catarina Eufémia.

Dia 21 de 1956 os EUA fazem explodir a primeira bomba de hidrogénio.

Dia 23 de 1179 o Papa Alexandre III reconhece através de bula o título de Rei de Portugal a D. Afonso Henriques.

Dia 28 de 1903 é inaugurada a iluminação eléctrica nas ruas de Lisboa, em 1926 dá-se um golpe de Estado em Portugal que virá a dar origem ao Estado Novo

Dia 30 é queimada na fogueira Joana D’Arc mais tarde canonizada

Dia 31 de 1232 Fernando de Bolhões é canonizado sob o nome de Santo António de Lisboa (o casamenteiro) e em 1981 Fernando Mamede, atleta do Sporting Clube de Portugal estabelece novo recorde de 10.000 metros.

Após este trazer de memórias, voltamos a 2011 e apetece-nos zurzir nestes matrecos que nos enchem os ouvidos e os olhos diariamente com as suas mediocridades e gulas sem limite.

Apetece dizer – Tomem juízo seus m….s e façam um favor a vocês próprios e ao País, dêem por terminada a vossa gula e vão-se embora. É uma vergonha o que se está a passar em Portugal com esta classe dirigente, que ou são tremendamente estúpidos ou tremendamente inteligentes, pensando que conseguem enganar toda a gente durante todo o tempo. O que ontem era o malandro, que depois de abrir os cordões passou a não ser muito mau rapaz, hoje já é novamente um malandro e incompetente. Quero referir-me àquele sorvedouro lá para o meio do Atlântico que tem um homensito com carácter de permanência que se ri a bandeiras soltas dos parvos dos continentais que se deixam empobrecer cada vez mais para alimentar as bacorices de gula sem limite e má educação sem igual e qual tonto, tudo lhe é permitido.

Agora vêem novas eleições, que nada vão resolver, a não ser a manutenção dos mesmos na eterna rotatividade de tachos, testos e panelas.

Quem sempre tem trabalhado, continuará a trabalhar mais, quem é pobre continuará a ser mais pobre e quem é rico ficará mais rico, pois a crise é a oportunidade para que quem sempre teve, poder aumentar.

Será que a classe politica dirigente, na sua maioria preenchida por licenciados em Direito e Economia, grande parte deles sem experiência de vida e que têm sido os fazedores das leis cheias de lacunas, que têm levado este País à desgraça em que estamos, não perceberam a sua incompetência?

É que o dirigir, governar, mandar, não é para quem quer, mas sim para quem sabe.

E os que sabem, infelizmente para todos nós, não estão para se chatear, ou não se querem ver conspurcados pelos outros, que de ardilosos seriam capazes de tudo

para os destruir.

Estou cansado!

by José_Ferro

Abril 2011 Terça-feira, 26 de Abril, 2011

  jose-fialho-ferro_lt0101Neste mês de Abril, o tal das águas mil, voltamos a algumas efemérides:
  No dia 1 temos o dia das mentiras, dia 2 nasceu a minha filha Cláudia, dia 3 morreu Salgueiro Maia, herói de Abril ,tão mal lembrado. Foi extinta a Ordem dos Templários, é aprovada em Portugal a extinção dos Tribunais militares. Dia 4 é criada a NATO. Dia 5 de 1821 foi abolida  em Portugal a Inquisição. Dia 6 os EUA entram na 1ª guerra mundial. Dia 10 é assassinado Emiliano Zapata, herói mexicano. Dia 14 começa a revolta da Maria da Fonte, é alvejado a tiro, vindo a falecer um dia depois Abrahan Lincoln presidente dos EUA, afundou-se o TITANIC , Xanana Guzmão é eleito presidente de Timor Leste independente. Dia 15 Filipe de Espanha é aclamado Rei de Portugal, morre Jean Paul Sartre, Beatriz Costa e Greta Garbo. Dia 19 é fundado em Bad Munstereifel o Partido Socialista Português. Dia 21 morre Constantina Salgueiro, minha madrasta e nasce o meu primeiro neto o meu querido Henrique. Que dia de sentimentos e emoções cruzadas.
   Dia 25 é derrubada a ditadora Salazarista pelo MFA e proclamada a libertação de Portugal, conhecida pela Revolução dos cravos, na qual a maioria da população portuguesa depositou as maiores esperanças, que os anos e as más politicas praticadas por uma nova classe ,os profissionais da politica ,maioritariamente “gulosos” e medíocres ou, porque não incompetentes, tem levado ao surgimento de um sentimento de saudosismo que poderá abrir portas a um novo “Desejado”, fazendo voltar a um passado, provavelmente ainda mais cinzento.

Mas tenho de voltar a Março, pois com data do dia 18 e com validade até 17 de Março de 2014, recebemos o Certificado de Conformidade PT11/03550 de Sistema de Gestão da Organização, vulgo Certificação de Qualidade NP EN ISO 9001:2008, num trabalho de auditoria pela reconhecidamente competente e acreditada empresa SGS, podendo a partir desta data a FIALHO FERRO utilizar o respectivo símbolo de certificação.
   A toda a equipa que num trabalho de grande dedicação e empenho, possibilitou que na primeira auditoria da 2ª fase de implementação, fossemos em relatório da equipa auditora, considerados aprovados com 0 (ZERO) não conformidades, endosso os meu reconhecimento e agradecimento a toda a n/equipa.
Todavia, a verdadeira certificação, não terminou com o encerramento do processo. Iniciou sim o desenvolvimento e as responsabilidades internas e correspondência com os nossos parceiros. Ser certificado só por prestígio é o pior que se pode fazer. Ser certificado para a melhoria diária, continuada e desenvolvimento para um melhor servir os nossos clientes foi a filosofia traçada e é o caminho que pretendemos seguir.
Obrigado extensivo aos nossos Parceiros Clientes, pela confiança que em nós tem continuado a demonstrar.
Bem Hajam!

by José_Ferro

Março 2011 Quinta-feira, 17 de Março, 2011

8 de Março, mês do dia da Mulher, do nascimento e morte de S. João de Deus ou João de Granada, de seu nome de baptismo, João Vaz Cidade nascido em Montemor-o-Novo de onde saiu para Espanha, terminando em Granada onde fundou a Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, protector dos pobres e doentes mentais.

Março 2011, mês do Entrudo ou Carnaval.

Março, mês do inicio da lutas das mulheres pela igualdade de direitos em Nova Iorque, da fundação do Partido Comunista Português (1921), da tentativa de rebelião em Portugal, conhecida como “a Revolta da Sé”, (1950), das tropas vindas das Caldas da Rainha que marcham sobre Lisboa contra a ditadura, 1974, da tentativa de golpe de Estado em Portugal em 1975, mês em que D. João IV nomeia de Padroeira de Portugal a Imaculada Conceição.

Mês do Teatro. O actor Marlon Brando recusa o Óscar da Academia de Hollywood em protesto contra o tratamento dado aos Índios pelos EUA em 1973, mês em que foi extinto o Tribunal da Inquisição em Portugal em 31 de Março de 1821.

Cá no burgo, foi constituída a empresa Fialho Ferro, Publicidade, Expositores, Representações, Lda, no dia 13 de Março de 1996, que se propôs ser uma alternativa na produção de soluções publicitárias e de merchandising.

15 anos estão a passar e é em 11 de Março que iremos ter a 2ª auditoria para a certificação ISO 9001, efectuada pela reconhecidamente credível empresa certificadora SGS. Esperamos estar à altura do que as nossas expectativas anseiam e assim dar continuidade a um projecto que se vai consolidando, contra “ventos e marés” quais capitães de Naus navegando nos mares tenebrosos em que vivemos, agitados por gigantes (de pés de barro) que tudo vão fazendo e muito têm conseguido na destruição da malha laboral e empresarial, de quem não tem atrás de si o capital, esse famigerado capital que não é de ninguém, porque deveria ser pertença de todos, mas que alarve e teimosamente alguns “macro-encefálicos” teimam em mal distribuir, criando assim tantas desigualdades nas vidas dos Países.

Depois, bem, depois lá vêm as crises, imaginadas com criatividade e projectadas a longo ou médio prazos em função dos objectivos que o “PILIM” vil metal, pretende.

Todavia, continua a haver TEIMOSOS que não se conformam e que lutam, lutam com as “armas” que dominam, algum saber, muita vontade de fazer, e uma vontade enorme de conseguir manter vivo o sonho que acalentaram, sonho que alimenta a alma e vai satisfazendo o estômago de quem os acompanha e neles acreditam, nessa LUTA…. pacifica e de trabalho.

Nós sabemos, passe a imodéstias, que integramos esse grupo!

by José_Ferro

Fevereiro 2011 Quinta-feira, 10 de Fevereiro, 2011

jose-fialho-ferro_lt01011Mais um mês. Este mais curto em dias que os outros, mas em termos de exigências, obrigações e responsabilidades é igual, isto é, é maior exactamente por ser mais curto em dias.
Mas o Fevereiro tem as suas originalidades.
    Vejamos!
  Em Fevereiro é assassinado o Rei D. Carlos, nasceu Almeida Garrett, nasceu o padre António Vieira, são atribuídos os canais à SIC e TVI, é decapitada Maria Stuart, rainha da Escócia.
Morreu Maluda, artista plástica portuguesa, nasceu o filosofo Agostinho da Silva, é assassinado o General Humberto Delgado, nasceu Carlos Paredes, morreu Vitorino Menesio, nasceu António Aleixo, Karl Marx e Engels publicam o manifesto do Partido Comunista, morreu Jonas Savimbi,foi abolida por Portugal a escravatura em todo o seu território, nasceu Zeca Afonso, inicio da revolução de Outubro na Rússia, António Arnaut anuncia em Beja o lançamento do Serviço  Nacional de Saúde em Portugal e tantas outras efemérides, que tornam rico o mês de   Fevereiro
   Fevereiro é o mês do Dia dos Namorados
  Fevereiro é.,…………….e será mais um mês de luta, de esperança e desilusão. Fevereiro vai ser igual a todos os outros num caminhar incerto e angustiante para os mesmos de sempre, que com pouco se contentam e muito nunca terão, na esperança que um dia lhes saia o euro-milhões pois o totoloto já será pouco
   Para nós, Fevereiro é a continuação de uma esperança que as coisas não piorem, para podermos dar continuidade ao nosso projecto de empresa cumpridora com as suas obrigações e satisfação dos nossos colaboradores.
   Esperança, eterno sentimento de quem sabe que por vezes  é impotente para a concretização
das vontades, não por culpa ou incapacidade próprias, mas de outrem.
  Todavia, com a alma que diferencia os “VERDES” que desportivamente muito sofrem mas sempre esperançados que “pró ano é que é”, cá iremos esperando por outros amanhãs, isto é outros “Marços”!
 

by José_Ferro

JANEIRO 2011 Segunda-feira, 10 de Janeiro, 2011

jose-fialho-ferro_lt0101

 Caiu o pano!.
  Foi-se  2010. Veio 2011.
  Foi-se o velho e entrou o novo.
  O velho, como sempre, foi bom para alguns, mau para muitos e ainda muito mau para outros.
  O novo, qual lugar comum de palavras feitas, todos desejamos que seja melhor.
  Para nós e em termos de actividade, fazemos votos que  não piore. Conseguimos cumprir em 2010 o nosso principal objectivo.
  Continuar a merecer a confiança dos nossos parceiros Clientes e das Instituições que em nós continuaram a acreditar, pagar pontual e integralmente aos funcionários, segurança(?)social, fisco, iva  e toda a carga que nos impõem e à qual não podemos nem queremos fugir, assim como dentro do razoável e possível, aos nossos parceiros externos (fornecedores)
  Bem hajam todos!.
  Esperamos atingir e poder cumprir em 2011 os objectivos que nos propomos e que poderão, a muitos, parecer ambiciosos. Melhorar e aumentar as nossas capacidades produtivas, tentando ganhos de produtividade, podendo assim, contrariar a tendência proclamada pelos arautos das desgraças de aumento de desemprego. Pensamos ser possível criar mais postos de trabalho, alargar o nosso mercado. Para isso temos dado passos e estudado possibilidades.
  Sem precipitações, mas sem receios exagerados. É preciso acreditar e ter capacidade para correr alguns riscos, com a humildade e consciência das nossas capacidades que este tipo de ambição comporta.  Pensamos poder ser, dentro de curtíssimo espaço de tempo, mais uma empresa credenciada com certificação ISO 9001.Estruturámos internamente a empresa, elaborámos projecto, solicitámos auditorias interna e externa e aguardamos resultados finais.
   As expectativas pois não são de todo angustiantes. Pese embora toda a injecção que nos impõem de miserabilismo, de papões de BCE de FMI etc, nós pensamos que não nos devemos curvar mas sim
impor a nossa teimosia em acreditar nas nossas reais capacidades de trabalho e competência, no nosso direito à cidadania responsável e exigente sem nos vergarmos a quem de nós se serve. Que
a todos devia ser  posto ao serviço o direito à saúde, educação, ensino, segurança social, justiça.
   O que nos falta, ai sim, deviam dar-nos  injecções de solidariedade e distribuição daquilo
que é de todos e só a alguns serve e uns quantos, que são muitos, se servem. Haja justiça igual para todos e pesada para os que se servem da coisa publica. Haja transparência na gestão da coisa publica e penalizem-se os incompetentes.
   O Povo em nome de quem todos se sentem no direito de ser porta voz, sem dele terem procuração, na sua sapiência diz e com razão que quem não deve não teme e que se deve ser como a mulher de César. Não basta dizer ou parecer é preciso Ser.
   Bem hajam, até Fevereiro

Dezembro / 2010 Sexta-feira, 10 de Dezembro, 2010

Mês de tantas efemérides!
  Umas boas, outras e são as mais, más ou mesmo muito más.
  Boas, sobretudo para as crianças que ainda têm quem lhes dê prendinhas, para os católicos que celebram a vinda de Jesus, Aleluia é Natal, para os aniversariantes e para os que  desejam que 2010 passe rapidamente.
  Más, para todos os que ficaram sem emprego, ou com emprego sem receberem os salários  que lhes são devidos e na maioria dos casos merecidos, porque também os à que não os  justifica ou merece.
  Muito más, para os que viram partir numa viagem sem regresso os seus entes mais queridos e amados, uns por doença, outros por acidentes e ainda outros por decisão pessoal.
  Para todos estes a nossa solidariedade!
  Para nós empresa e em termos pessoais, o 2010 tem sido um ano que desejamos passe  depressa. Não nos deixa recordações muito simpáticas.
  Felizmente conseguimos com o trabalho de toda a equipa e a confiança dos nossos parceiros chegar ao fim do Ano e respeitar os nossos compromissos, salariais, fiscais e sociais.
  Alguns dirão que já não foi mau! Nós diremos que gostaríamos e podia ter sido melhor.
  Gostaríamos porque essa é e será sempre a nossa vontade e desejo, perseverança, capacidade e condições humanas e de equipamentos para o conseguir. Mas, haverá sempre um mas, nem sempre a associação das condições e vontades é suficiente para o fim almejado.
  O que é lamentável é que o estado, (com letra minúscula, pois é um estadosinho) não cumpra as suas obrigações de moderador da sociedade e justiça social, da solidariedade, enfim daquilo que hoje mais do que nunca Portugal necessita.
  Esperemos que o 2011, nos traga tudo aquilo, ou pelo menos minimize, o que tanta falta os  faz. Muita saúde. Muito amor, Muita solidariedade, Muito trabalho para ser distribuído a quem dele necessita!

by José_Ferro

Outubro 2010! Sexta-feira, 15 de Outubro, 2010

jose-fialho-ferro_lt01011Estamos no mês de Outubro.
      Outubro é um mês que gosto!
      Mês de Aniversário do meu Pai, se fosse ainda vivo.
      Mês de Aniversário do meu Filho. Que felizmente já me deu Netos!
      Mês do Outono,por vezes sisudo,por vezes alegre.
       Prometidos aumentos de custos, de impostos, com o consequente aumento no ar dos nossos bolsos.
       Aqui sim, aumenta o volume!
      Aumentos do desemprego, de encerramento de empresas, de falências, de instabilidade social e criminal, entupimento dos tribunais por aumento de processos de todo o tipo, enfim, o que vai acontecer é a criação de um estado de sentimento saudosista que de todo em todo a maioria do Povo não pretende, mas para onde o estão a empurrar com uma força e violência alimentada pelos interesses de grupos e pessoas..
      E é vê-los, os mesmos de sempre, pós 25 de Abril,na rotatividade de lugares e cargos, qual
carrossel, pisando sempre o mesmo chão, leia-se povo.
      O despudor chegou ao extremo de o Governo,  pedir contensão e os gestores, ou melhor,(os orientados) rirem-se e dizerem que continuarão até ao final do ano a fazerem o mesmo despesismo. Quer nas derrapagens, quer nas festas, quer nas compras de carros novos e afins, e ou nas nomeações de compadrio. È um regabofe.
     Como se fosse difícil ser gestor de empresas publicas monopolistas em que os prejuízos por más gestões, em vez de serem punidos, ainda são premiados com mordomias, depois de cobrirem os
tais ditos com aumentos de taxas e custos para o “Zé” pagar!
      Nós, pouco letrados e que temos o arrojo de ter  pequenas e médias empresas, procurando sempre cumprir o que nos é imposto e sem margem de negociação com os detentores do capital, leia-se a banca, ainda por cima penalizados pelas máquinas de “zelosos” recebedores da coisa publica, é que devíamos ser reconhecidos e salvaguardados dos tubarões. Porque não porem os donos e gestores de empresas que sobrevivem sem a subsidio-dependência a gerir a coisa publica, pondo ao serviço da mesma a experiência que a prática do dia-a-dia lhes tem ensinado e que com
vantagem poderiam transmitir, aos tais ditos cujos, senhores doutores macro-economistas, que são uma classe, “de sempre os mesmos.”
      Bem, parece-nos que para o Outubro, que por razões inicialmente ditas é um mês de que gosto particularmente, já chega de “malhar.”
      Até Novembro!

by José_Ferro

VOLTÁMOS! Quarta-feira, 15 de Setembro, 2010

jose-fialho-ferro_lt0101Após um período de paragem motivado por factores que se prenderam sobretudo na falta de disponibilidade de colaboradores, ausências  por mudança de empresa,baixas médicas desmo- tivações pessoais e afins, eis-nos de novo com a mesma vontade inicial para prosseguirmos “O FERRINHO”  boletim informativo.
    Novo titulo, nova imagem gráfica, alguns colaboradores novos e nova energia,  com os nossos parceiros, empresas com as quais temos parcerias de divulgação, darmos continuidade a esta projecto.
    Iniciámos uma nova etapa na empresa. Uma etapa virada para a qualidade através de projecto de certificação que está em curso, do qual já tivemos auditoria interna e aguardamos auditorias externa por empresa certificadora, no caso a SGS. Obrigado CTIC, obrigado especial RUTE SOUSA.
    Pretendemos assim manter a filosofia de inovação e qualidade na total vontade e determinação de melhor servir a razão da nossa existência…. os nossos Parceiros CLIENTES.
    Esperamos ser bem sucedidos  numa altura em que as dificuldades que se apresentam às pequenas empresas transformadoras do nosso País, cada vez são maiores, em que cada vez mais, os cumpridores são penalizados e os faltosos, não cumpridores, continuam qual Mocidade Portuguesa “cantando e rindo”.
    Mas a nossa vontade, o nosso querer, a nossa determinação, são fortes! A frontalidade e o sentido de responsabilidade com que assumimos os nossos erros e o nosso saber, virados a cada momento no sentido de melhor servir e cumprir, não serão certamente derrotados com facilidade.
    Desenvolveremos novos produtos, melhoraremos a nossa qualidade, teremos melhores preços, cumpriremos melhor os prazos compatíveis com os projectos em execução.
    A nossa missão está presente. Os nossos parceiros internos, Funcionários, sentir-se-ão satisfeitos com o trabalho realizado e os nossos parceiros externos, Clientes, sentir-se-ão satisfeitos com o produto recebido, e nós diremos em tom forte CUMPRIMOS!
    E é com este sentimento de que cumpriremos bem a nossa Missão, que retomamos este projecto de gracinha que de modo despretensioso queremos que tenha a virtude de todos nós na Fialho Ferro nos envolvermos e darmos o que de melhor todos temos.
    Contamos com todos, contem connosco.
    OBRIGADO

by José_Ferro

Outubro Segunda-feira, 19 de Outubro, 2009

jose-fialho-ferro_lt01011 Neste mês de Outubro em que chegámos ao Outono, que por sinal veio e continua bem quente, pese embora uma trovoada que se abateu sobre Torres Novas a qual fez umas “maldades”, continua praticamente tudo igual.
 Houve a normal agitação de mais uma campanha eleitoral que não trouxe praticamente alterações, pois todos ganharam.
 Ganharam os que tiveram mais votos, mas perderam, porque perderam eleitos.
 Ganharam os que tiveram menos votos, mas ganharam porque aumentaram eleitos.
 Ganharam os que não votaram pois aumentaram o número de abstenções.
 Enfim a matemática já não é o que nos ensinaram, em que ganhava quem tivesse mais.
 A palhaçada dos números que só serve para baralhar os desatentos e afastar cada vez mais o cidadão daquilo que a todos devia motivar, a participação cívica nos destinos do País e das autarquias.
 A política que devia ser uma actividade nobre e praticada por cidadãos acima de quaisquer suspeita, motivados para o serviço do bem comum, passou a ser albergue de uns quantos, que de desonestos se aproveitam da coisa que deveria ser de todos nós, e que mesmo condenados pela Justiça, que deveria ter a mão pesada para estas situações, continuam quais alarves em práticas provocatórias a aproveitarem-se da fluência de palavra e de obra de encher o olho, dando musica para continuarem nas suas vilanagens.  Alguns, já condenados, embora de pena suspensa, como se isso não fosse uma condenação e outros com processos a transitar em julgado, continuaram a concorrer e até ganharam eleições. Depois outros que falavam e defendiam a ética, silenciam e deixam andar. É por estas e outras que cada vez aumenta o desinteresse da maioria das pessoas.
 Depois marcam-se eleições para datas desaconselháveis, manifestando, assim o desconhecimento do País real. Senão vejamos se entre ir votar ou apanhar azeitona, quem teve maior participação nos meios rurais?

Que se faça um estudo sociológico destas situações e que quem decide não cometa tais disparates, que é como dizia o “Miscas”: - abre os olhos mula que a carroça vai cega.

by José_Ferro

Setembro Terça-feira, 15 de Setembro, 2009

  jose-fialho-ferro_lt0101  

     Este mês chegamos mais tarde.
As férias, (de quem as teve), o trabalho, (felizmente não nos tem faltado), a falta de vontade, (que por vezes é muita), levaram entre outras coisas a só hoje nos dispormos a alinhavar estas linhas.
Dizíamos no passado mês de Agosto que em Setembro voltaríamos a manifestar o nosso pensamento em relação ao sistema em que vivemos.
Na verdade neste mês em que somos chamados a cumprir o nosso direito e dever cívico, em que podemos transmitir,( embora respeitando o secretismo), as nossas ideias e sentir, temos assistido ao velho “circo” das criticas, demagogias, acusações, virtudes de obras feitas, etc etc. e ideias novas, projectos de alteração a um sistema que começa a ficar caduco, mas que continua a servir a quem dele se serve e aproveita, não ouvimos ou lemos nada. Continuamos convictos que vá quem for, ou fique quem está, nada vai ser alterado. No entanto temos as nossas ideias e convicções e sabemos a quem é que pensamos não interessar entregar o leme deste navio.
È necessário rever e alterar o sistema de justiça deste País e meter na prisão quem lá deve estar, não proteger o criminoso e condenar, nem que seja pelos incómodos, as vitimas. Que o SNS continue cada vez mais a ser serviço nacional de saúde, tendencialmente gratuito. A educação e ensino sejam públicos e de qualidade. A Segurança Social seja justa e solidaria sem alimentar as incompetências, (são muitas), de quem dela se serve, qual “chico-espertisse” que engana e prejudica todos.
Que as Novas Oportunidades sejam realmente novas e a todos possa interessar.
Enfim, um enumerado de “coisas” que de tão badaladas e não escutadas, continuam estafadas e quais autistas, (que os que são me perdoem), vão fazendo orelhas moucas e qual” mocidade portuguesa” do outro tempo, felizmente passado e não desejado o retorno, vão cantando e rindo por continuarem a enganar o “ZÉ Pagode”, sentindo-se acima de tudo e todos.
E qual triste realidade, que quem mais faz menos merece, nós teimosamente vamos continuando a ter voz e pensamentos próprios, mesmo sabendo que estamos a ser alvo de baterias de invejosos e incompetentes.
Mas o tempo e o azeite tudo trazem ao de cima e então, sem nenhuma alegria, mas com a satisfação de sabermos que deixamos raízes de princípios e ética no sentir, no estar e no fazer.
Esta é a mensagem na empresa, nos filhos e nos netos!

by José_Ferro

AGOSTO 2009 Sexta-feira, 21 de Agosto, 2009

 jose-fialho-ferro_lt0101 

Mês do calor e das férias!

Recordo os serões de Agosto no meu Alentejo, concretamente Montemor-o-Novo. Da velha expressão popular “luar de Agosto bate-lhe no rosto”.

As brincadeiras no Largo das Palmeiras, ao pinga, aos cowboys, às escondidas, ao funcho, etc, entre o Largo das Palmeiras, onde eu e a minha falecida irmã, a “ETA”morávamos, em casa dos meus avós paternos, já que os maternos nunca vivemos com eles (que saudades tenho de todos eles), e o Largo Serpa Pinto, ou dos Combatentes.

Depois de muito corrermos, íamos beber a água fresca de uma bilha, normalmente por um cocho

Sabem o que é? Um tipo de colher grande em cortiça, que diziam não transmitir doença e mantinha a água à temperatura.

Que regalo sentir a água fresca a correr pela garganta e queixo abaixo.

Por volta das 11 horas/ meia noite, lá íamos todos para casa, onde não havia televisão, pois luz eléctrica era um luxo dos ricos,e não se fechava a porta da rua, ficava na aldraba, pois havia respeito e solidariedade entre os pobres, não deixando todavia de haver roubos e outras malfeitorias, só que agora , é melhor não se falar disso, pois até se consegue ter licença para roubar o pobre. Basta ver o que os Bancos fazem, com os enganos sucessivos, será por descuido? Ou intencional?

Depois, bem depois os homens, sempre eles, lembraram-se de andar a mexer lá pelo “sótão” e o tempo nunca mais foi regular como era até então.

Agora é ir para a praia, quem pode, e levar agasalhos, pois está vento e frio. Agora é Setembro a estar bom, quando está.

Isto está de tal maneira que nem a politica aquece! As renovações é manter o mesmo, isto é, continuar as mesmas pessoas, as mesmas ideias pobres, o mesmo apego ao poder, os mesmos “compadres”, que o muito que se serviram da coisa publica, ainda é pouco.

Vejam-se as listas a começar pelas autárquicas. Onde é que está a renovação, onde estão as ideias e projectos novos de interesse para o Zé Pagode.

Nas Legislativas até lhes dão doenças por serem excluídos, e depois são os filhos, afilhados e compadres, os que podem dar um jeitinho ou prestar um favorzito, que o futuro tem de ser acautelado. È obras e mais obras, não custam nada a fazer, o dinheirinho é do povo, e quando for altura de pagar e manter já lá estão outros, que até podem ser do mesmo partido, que isso não interessa. As mordomias, as indemnizações para reintegração estão garantidas.

Fazer obra é sempre mais fácil e mais barato do que depois manter e pagar.

É necessário e urgente alterar o sistema. É necessário e urgente dar verdadeiras competências e responsabilidade aos órgãos em que se vota. É necessário e urgente ter a coragem politica de rever e alterar a organização administrativa e territorial do País.

Para quê tanta Freguesia, se a maior parte delas nem dinheiro têm para pagar as senhas de presença de reuniões e só servem na maioria das vezes para dizer amem ao chefe, em troca de uns favorzitos.

O número de Freguesias não se justifica, por desnecessário , deveriam sim , ser os serviços camarários a executar os trabalhos nas zonas rurais, tal como já o fazem na prática nas zonas urbanas.

Os Presidentes de Junta são considerados os parentes pobres, desconsiderados nas suas funções, qual pedintes, a quem tudo é prometido e só na altura das eleições se dá “um pratinho de sopa” para matar a “fomita” pois é preciso ter alguém a dar a cara, porque o que conta são os votos e depois, bem depois é para esquecer, que o “meu” já cá canta!

Quais as competências das Assembleias Municipais, para além de serem correias de transmissão do chefe do executivo. Em nossa opinião, que por lá estivemos durante 30 anos, as competências são efectivamente nulas. À que alterar o sistema.

Eleições para uma lista única, em que o cabeça da lista mais votado seria o Presidente do executivo, o qual submeteria à Assembleia, após a sua composição os nomes dos restantes elementos, de entre os eleitos. Tendo os mesmos de ser votados e aprovados. Este seria certamente o método mais transparente e responsável, pois todos sabiam em quem votavam e exigiam responsabilidades.

Por sua vez, a Assembleia teria o direito de fiscalização (real) e aprovação de moções com poderes e consequências efectivas.

O sistema seria a exemplo do que acontece para o Parlamento e para as freguesias. Porque é que terá de ser diferente para o executivo camarário?

Creiam que assim se poupava muito do nosso dinheirinho e reduziam drasticamente os “cambalachos”

Para Setembro há mais!

by José_Fialho_Ferro

CARTA ABERTA AO SENHOR PRIMEIRO MINISTRO Terça-feira, 14 de Julho, 2009
jose-fialho-ferro_lt0101por José Fialho Ferro

Camarada e amigo Engº José Socrates:
 Habituei-me de à muitos anos a admirar a sua inteligência, capacidade e querer. Todavia, creio sem ofensa, que não soube rodear-se dos melhores na prestação do desempenho de funções para as quais foram designados
 Perguntar-me-á quem são! Ora bem, como dizem as pessoas do norte deste País que se quer de gente de bem. A Segurança Social de Santarém.
 Porquê? Por irresponsabilidade de quem a dirige ou mais ligeiramente por incompetência
 A que propósito?
 Passo a contar.
 Numa época que o Governo, e bem, aposta nas novas tecnologias e informática a Segurança Social de Santarém, “lançando o barro à parede” em Março de 2008 enviou cartas a empresas com ameaça de penhora de bens por dívida à Seg. Social, na maioria dos casos, inexistentes, o nosso caso especifico , que demonstramos por suporte documental que não devíamos e nunca devemos, (não sei até quando pelo estado em que as coisas estão), tendo exigido como era nosso direito e dever de cidadania, um pedido escrito de desculpa, que só passados mais ou menos dois meses nos foi enviado e depois de denuncia publicada em orgão de comunicação social.
 Surpresa das surpresas, em Julho de 2009 continua pendente como divida da nossa empresa custa e juros de mora, mais imposto de selo, de processo de execução fiscal de dividas no valor de 218,52+101,21 euros referentes ao inexistente processo.
 Em que é que ficamos, senhor Primeiro Ministro? É com esta gente que quer continuar a governar. É com estes, ou estas “BOYS” que quer ter a confiança nas Instituições, por parte do cidadão contribuinte e eleitor. É assim que o Pais tem confiança em quem vota?
 É preciso dizer basta e denunciar publicamente, o nosso caso, pese embora sermos de à 35 anos militante do partido que V. Exa lidera e que se sente envergonhado por ter nomeados a dirigir instituições, pessoas autistas e irresponsáveis.
 Sr. Primeiro Ministro, faça uma limpeza na inutilidade de algumas pessoas que o rodeiam e que só se servem a si próprias. Isto não é ser ou servir programaticamente, nem pragmaticamente, o P.S. e o Pais.
 Espero devotadamente que o autismo político possa ser tratado, a bem de Portugal e dos interesses das populações.

 
 
 
 
 
 

ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
copyright 2003-2009 © FialhoFerro - Publicidade, Expositores, Representações, Lda.   | webmaster@fialhoferro.com   | v.2.2.0
blog.fialhoferro.com criado com WordPress, RSS Artigos e RSS Comentários.