Domingo, 22 de Abril de 2018
ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
 
 
adicionar aos favoritos | área reservada
  Este é o blog da FialhoFerro, Lda. Saber mais Quem somos Serviços Contactos
 
 

Arquivo da Categoria ‘Conceitos’

Modelos de Organização da Produção Quarta-feira, 18 de Março, 2009

lisete A forma como se organiza a produção, é fundamental para uma boa gestão produtiva, assim é importante, definir o modelo de organização de forma a optimizar os recursos

a) Implantação em secções homogéneas
Este tipo de implantação é normalmente aplicado nos casos de processos descontínuos. As máquinas semelhantes são agrupadas por secções.
Vantagens:
- agrupamento por especialidades – os operários que trabalham numa secção são especializados nas máquinas dessa secção, podendo trabalhar em qualquer uma delas.
- Flexibilidade – é possível fabricar todo o tipo de produtos utilizando os meios disponíveis na secção
Desvantagens:
- fluxos complexos – a implantação das máquinas, nem sempre respeita a ordem do fluxo de produção dos produtos, o que por vezes provoca inversões no sentido de movimentação dos produtos e consequente perda de tempos
- volume considerável de produtos em curso – ao termos fluxos complexos, vamos ter stock de produtos em curso de fabrico

b) Implantação em linhas de fabrico
Este tipo de implantação está associado a processos contínuos, onde as máquinas são colocadas em linha, segundo o fluxo produtivo do produto a fabricar.
Vantagens:
- inexistência de pontos de inversão
- fácil identificação dos fluxos produtivos
Desvantagens:
- flexibilidade limitada

c) Implantação em células de fabrico
Trata-se de uma mistura entre a implantação em secções homogéneas e as linhas de fabrico. São pequenas oficinas especializadas no fabrico integral de um conjunto de peças, também designadas por “ilhas de produção”.
Vantagens:
- diminuição dos stocks
- diminuição dos prazos

by Lisete_Viegas

 

Tipologias de Produção Terça-feira, 17 de Fevereiro, 2009

lisete1Cada empresa é única pela especificidade dos produtos que fabrica e pela sua organização. No entanto podemos conceber uma classificação das empresas em função dos seguintes critérios:

  1.  
    1. quantidades que fabrica e graus de repetitividade;

    2. organização dos fluxos de produção;

    3. relacionamento com os clientes.

A identificação da tipologia de produção é fundamental para a escolha do método de gestão da produção mais adequado.

 

a) Classificação em função das quantidades que fabrica e graus de repetitividade

Neste caso podemos ter:

  •  
    • produção unitária

    • produção de pequenas séries

    • produção de médias séries

    • produção de grandes séries

Para cada uma destas quantidades podemos ter, ou não, repetição dos lançamentos de produção.

 

b) Classificação em função dos fluxos de produção

Neste ponto podemos dividir em 3 sub-grupos:

  •  
    • produção contínua - sempre que se tratam de quantidades grandes. A implantação é feita em linha de produção - “flow shop”. As instalações e máquinas estão dedicadas ao produtos a fabricar, não permite uma grande flexibilidade)

    • produção descontínua – no caso de quantidades relativamente pequenas de vários produtos diferentes. A implantação das máquinas é realizada por secções que agrupam máquinas em função do tipo de tarefas que executam - “Job shop”. Neste caso as instalações e máquinas são capazes de realizar um grande número de operações, o que lhes dá uma grande flexibilidade)

    • produção por projecto – Neste caso o produto é único e não se repete (ex. Construção de uma auto-estrada ou a organização de um campeonato europeu de futebol). O principio da produção por projecto é o de encadear todas as operações, que conduzem à sua conclusão, minimizando os tempos mortos, a fim de terminar com um atraso mínimo ou no momento acordado.

c) Classificação em função do tipo de relacionamento com o cliente

Neste caso existem três tipos de produção e venda:

  •  
    • venda a partir do stock – o cliente adquire produtos existentes em stock, que previamente é constituído pela empresa.

    • produção por encomenda – a produção somente é iniciada a partir do momento em que o cliente confirma a encomenda (diminuição dos stock e dos custos financeiros associados)

    • montagem por encomenda – Neste caso fabricam-se para stock sub-conjuntos ou partes, que posteriormente, após a confirmação da encomenda são montados em função das encomendas. Neste caso reduzimos o prazo entre a recepção da encomenda e a entrega do produto acabado.

by Lisete_Viegas

 
 
 
 
 
 

ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
copyright 2003-2009 © FialhoFerro - Publicidade, Expositores, Representações, Lda.   | webmaster@fialhoferro.com   | v.2.2.0
blog.fialhoferro.com criado com WordPress, RSS Artigos e RSS Comentários.