Domingo, 22 de Abril de 2018
ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
 
 
adicionar aos favoritos | área reservada
  Este é o blog da FialhoFerro, Lda. Saber mais Quem somos Serviços Contactos
 
 
Funções e Documentos

lizete-viegas_lt01

 1. Função Estudos e Documentos Técnicos

Para que uma empresa consiga um bom desempenho deve manter um esforço de inovação permanente. Sob pressão dos clientes e da concorrência, os produtos possuem uma vida cada vez mais curta. Deve haver o cuidado permanente de estudar cada produto e o seu ciclo de vida, bem como cada um dos seus elementos numa óptica de funcionalidade, fiabilidade e de manutenção fácil. A concepção de um produto não pode ser feita no segredo do gabinete de estudos sem a colaboração das outras áreas funcionais da empresa. A colaboração far-se-á com o marketing, a fim de dar respostas às expectativas dos clientes, e com os serviços técnicos e de produção, para as técnicas específicas com o objectivo principal de conceber rapidamente produtos fáceis de fabricar.

 a) Documentos Iniciais
O documento tipo é o caderno de encargos, que explicita as funções e características técnicas do produto a conceber. Permite especificar as condições de utilização e as quantidades a fabricar.

b) Documentos finais
O desenho de conjunto define o produto desenhado tal como se apresentará perante o cliente com uma nomenclatura dos componentes de base do produto.

O plano de detalhe ou desenho de definição explicita todos os dados necessários à execução de uma peça ou parte de um conjunto. Contém todas as especificações geométricas, do estado de superfície e constitui um anexo ao plano de conjunto.

A nomenclatura do gabinete de estudos define cada elemento constituinte do produto, identificado e descrito de forma sumária.

Os artigos constituindo o conjunto do produto devem ser identificados. Pode tratar-se de artigos já existentes, possuidores de um código ou de artigos novos para os quais é necessário criar um código.

 2. Função Métodos
A função métodos tem por finalidade permitir passar de um plano ou de uma ideia a um ou mesmo milhares de produtos. Trata-se da fase de industrialização. Deve explicitar a maneira de realizar aquele objectivo limitando a dispersão entre dois produtos. Para além dos seus objectivos técnicos e económicos, a função métodos tem objectivos de carácter social tal como a concepção dos processos e dos postos de trabalho, particularmente no que respeita à sua ergonomia.

No curto prazo, a função métodos efectua a preparação técnica do trabalho de produção: definição e actualização das gamas, desenhos e estudo das peças e ferramentas necessárias, actualização dos ficheiros de ferramentas, máquinas, custos por posto de trabalho. A médio prazo, o seu papel compreende a melhoria dos processos, a simplicidade dos produtos e a sua fabricação, a melhoria dos postos de trabalho e da sua implantação. A longo prazo, a fim de conservar ou obter vantagens sobre a concorrência, será levada a definir os meios necessários à realização dos novos produtos, a trazer inovações aos processos existentes e a avaliar o volume de investimentos necessários.

 a) Documentos iniciais
Para realizar a sua tarefa a função Métodos utiliza os documentos produzidos pela função Estudos (planos/desenhos, nomenclaturas, artigos), os dados tecnológicos existentes, particularmente em matéria de meios de produção e os processos conhecidos.

 b) Documentos Finais
A função Métodos elabora as gamas. A gama define a sucessão das operações a efectuar. Trata-se de uma sequência ordenada das diferentes fases de um processo. Uma gama pode ser definida para todo o tipo de operações (fabricação, maquinagem, montagem, controlo e mesmo movimentação para as peças difíceis de transportar). 

3. Documentos elaborados pela gestão da produção
O dossier de fabricação acompanha os produtos ao longo da sua movimentação na oficina. A ficha de trabalho (folha de obra) descreve as tarefas a realizar num determinado posto. Reproduz o teor e o modo operatório da fase considerada da gama. Serve para o acompanhamento técnico (retorno de informação) e administrativo (contabilidade analítica).

A ficha de acompanhamento acompanha as peças de um lote em fabrico recapitulando o histórico da realização das peças e contém um relato da execução das diferentes fases.

A requisição de saída de armazém permite obter os materiais e os componentes necessários à produção indicando a qualidade e as quantidade a entregar no armazém.

Elaborado com base em “Gestão da produção” - A. Courtois, M. Pillet, C. Martin

by Lisete_Viegas

Comentar

Security Code:

 
 
 
 

ir para a home do blog enviar email ir para página anterior ir para página seguinte
copyright 2003-2009 © FialhoFerro - Publicidade, Expositores, Representações, Lda.   | webmaster@fialhoferro.com   | v.2.2.0
blog.fialhoferro.com criado com WordPress, RSS Artigos e RSS Comentários.